Oi
Oi
+
+
"Meu dengo,
Eu só quero seus mimos
De domingo à domingo."
Acaricia.  (via poesetos)
+
se eu nao gosto da pessoa nao adianta ela tentar me agradar pq nao vai colar, odeio gente insistente
+
Meu sonho é um dia ver a supernanny perdendo a paciência e falando “ESCUTA AQUI SEUS ANIMAL COME ESSA PORRA DESSA COMIDA E CALA A BOCA”
+
"

Numa tarde de inverno, um garoto de oito anos rodeava os chalés do bairro em que ele se encontrava atrás de um pedaço de pão, resto de pizza, ou qualquer coisa que pudesse “tapear” o seu estômago. O menino já não se alimentava há dias e estava com uma aparência horrível, seus pés descalços e cheio de feridas e frieiras, suas roupas amarrotadas, imundas e rasgadas, seu cabelo estava embaraçado, sujo e despenteado, seu rosto amarelado e seu corpo um tanto magro para a sua idade. Latas e mais latas eram reviradas pelo garoto, seus olhos eram pequenos, mas não conseguiam esconder a angústia e o sofrimento pelos quais ele passara. Sacos e mais sacos e nada, nem se quer um pedaço de pão queimado ou uma fruta comida pela metade. Andara tanto que já não sentia os seus pés. Na verdade, uma vez ou outra, ele se pegava cambaleando pelo asfalto daquelas ruas. Sua alma, se é que ainda possuía alguma, não o ajudava. Provavelmente estaria cansada. “Mas isso era estranho, já que o garoto só tinha oito anos?” Você deve estar pensando. Mas te digo que há pessoas que carregam um fardo mais pesado que um búfalo possa suportar, independentemente de sua idade, nesses casos o que realmente importa são os problemas vividos. As pessoas se afastavam quando o viam passar, se desviavam dele como se ele fosse um carro que vinha em alta velocidade. O garoto não suportava mais andar, sua mente pedia “pare!” e ele insistia. Foi ai então que ele se sentou próximo a uma casa de aparência macabra e sentiu que alguém o observava. Não deu muita importância, pois não queria gastar o pouca força que lhe restava se preocupando com besteiras. De dentro da casa saiu um senhor, tinha uma pele escura, roupas antigas, seu cheiro não era muito agradável. Ele se aproximou do garoto e sentou junto a ele e perguntou: Há quanto tempo você está vagando por ai menino? Observei-te a manhã inteira, mas não vi má intenção nos teus olhos agora que os vejo de perto, creio que mais cedo tive uma ideia contraria a esta. Você precisa de alguma coisa? Esta com fome? O garoto observou as palavras do velho, mas não disse nada. Suas pálpebras estavam um tanto caídas… O velho continuou “Está se sentindo bem? Onde estão os seus pais? Para onde está indo? O que você está olhando?” O velho reparou que o menino não parava de olhar para o seu colo e sentiu-se um pouco incomodado com isso. “Olhe pra mim garoto (continuou ele), posso te ajudar em alguma coisa?” O menino olhou diretamente nos olhos do senhor e disse “Seu moço, eu poderia deitar no seu colo? Estou um tanto cansado, caminhei por ai procurando algo que não encontrei e acho que chegou a hora de parar por hoje”. O senhor assentiu que sim e o menino deitou no seu colo e continuou “Eu precisava encontrar o amor, seu moço. Ouvi por ai outro dia que ele supria muita coisa e mesmo estando com fome, eu achei que ele pudesse me ajudar. Eu realmente, não sei como é o amor, não sei se é alto se é baixo, eu só ouvi que ele vivia dentro das pessoas, mas eu caminhei por quilômetros e mais quilômetros, passei por centenas de pessoas e não encontrei esse tal de amor. Acho que ele está se escondendo de mim assim como todas as pessoas que deveriam ter “amor”, segundo o que eu ouvi, por eu estar um tanto sujo. Bom, eu já não tenho tantas forças e agora que estou aqui descansando em seu colo sinto que o senhor não tem medo de mim, não se afastou de mim, pelo contrário. O senhor tem amor seu moço? Poderia me mostrá-lo? Quer dizer, deixe isso pra amanhã, seu moço, estou um tanto cansado e agora só quero descansar.”. O menino fechou os olhos e seus sinais vitais pararam e o senhor não chorou, ao invés disso, ele se aproximou do ouvido daquele garoto e disse “Missão cumprida, meu jovenzinho!”.

"
Quem é o amor? - Enzo Menezes (via filosofo-do-futuro)
+
"Eu gosto de você, mas você erra. Erra ao pensar que vou esperar pra sempre, ao pensar que tenho todo tempo do mundo, erra ao pensar que eu não sofro com sua ausência."
 Caio Augusto Leite.  (via quoteiros)
+
"O que estou querendo dizer é que tem horas que você precisa botar tudo pra fora. Toda a raiva. Toda a dor."
John Green. (via autorias)
+
+
+